Fique por dentro

Passarelli comemora os 40 anos de seu primeiro shield

Em 1975, José Passarelli foi à Inglaterra fazer um negócio que mudou a história do Grupo Passarelli: na oportunidade, foi feita a compra do primeiro shield da empresa.

O equipamento foi adquirido por força da demanda de um de seus principais clientes, a Sabesp, que necessitava ampliar as redes de água e esgoto existentes em função do grande crescimento urbano que a cidade de São Paulo vivenciava.

Tratava-se de um shield de frente aberta, o mais moderno da época, com o qual a escavação ainda era realizada manualmente.

Na época, não existia nenhuma tecnologia no Brasil capaz de executar obras em locais que não permitissem a abertura de valas ou que possibilitassem a construção de túneis em grandes profundidades sem que isso ocasionasse transtornos à população. E desde então, o Grupo Passarelli já construiu mais de 180 km de túneis, em oito estados brasileiros.

Em 1989, para executar uma obra para a Sabesp no bairro de Santana, a empresa adquiriu seu primeiro shield de frente fechada, equipamento nacional, fabricado pela Unideutsch, baseado em uma tecnologia canadense.

Já em 1993, para acompanhar as novas necessidades do mercado, a Passarelli adquiriu seu primeiro shield da marca ISEKI, de origem japonesa, que possibilitou, pela primeira vez, que os operadores monitorassem todo o trabalho da superfície, sem a necessidade de estar no interior da máquina, aumentando muito a segurança do processo.

Em 2007, criou-se a HBSP Shield, que possui a maior frota deste equipamento do país, com 12 máquinas que trabalham ininterruptamente. A empresa nasceu com o objetivo de prestar serviços tanto para a Construtora Passarelli quanto outras empresas.

"Com os equipamentos que utilizávamos há 40 anos, o menor diâmetro de túneis possível de se executar era 1200 mm, avançando apenas 1,8 metros por dia. Hoje, a empresa tem capacidade de construir microtúneis de 300 mm até 2000 mm com tubos cravados, e até 30 metros diários”, informa Vlamir Petrelli, Superintendente de Unidade da HBSP Shield, que atua na empresa desde 1978 e acompanhou toda a evolução da tecnologia e contribuiu para a história de pioneirismo da Passarelli neste segmento.

“Um dos principais benefícios da tecnologia utilizada atualmente é a possibilidade de trabalhar sob o lençol freático sem alterá-lo e sem causar danos às edificações lindeiras à obra. Nosso diferencial no mercado é estarmos sempre atentos a inovações, conseguindo resultados cada vez melhores para nossos clientes”, completa Vlamir.

O microtúnel oferece uma alternativa vantajosa e prática para a implantação de tubulações subterrâneas que tradicionalmente seriam executadas em trincheiras a céu aberto. Ele preserva o meio ambiente, poupando a superfície e cruzando obstáculos intransponíveis pelo sistema tradicional, como vias de grande tráfego, linhas férreas, edificações, rios, córregos e montanhas.